Notícias em Destaque


»
São Paulo tem a 8ª rua mais luxuosa do mundo

Entre as  dez ruas comerciais mais chiques do mundo, estão os endereços tradicionais, como a Avenida Champs-Élysées, em Paris, e os arredores da Rua Oscar Freire, na região dos Jardins, em São Paulo.

Redação Web Luxo

 



As ruas especializadas no comércio de luxo surgiram na Europa no século XIX. Elas tiveram seu apogeu entre os anos 30 e 60, mas andaram um tanto fora de moda nas décadas seguintes.

Um estudo realizado pela "Excellence Mystery Shopping International", organização que reúne institutos de pesquisa de mercado de diversos países, identificou as dez ruas comerciais mais chiques do mundo. Entre elas estão endereços tradicionais, como a Avenida Champs-Élysées, em Paris, e os arredores da Rua Oscar Freire, na região dos Jardins, em São Paulo.

Para elaborar a lista, a Excellence Mystery Shopping analisou dezesseis ruas de reputação internacional e grande concentração de lojas de grifes. O estudo levou em conta também a arquitetura das edificações, as instalações das lojas, a disponibilidade de serviços além dos estabelecimentos comerciais propriamente ditos, a limpeza, a segurança, o conforto, a cordialidade dos vendedores e o comportamento das pessoas que freqüentam a rua. Na maioria das cidades, tais características foram aplicadas não a uma rua, mas a uma região ou bairro. A Rua Serrano, em Madri, na Espanha, foi considerada a mais luxuosa do planeta, segundo os critérios utilizados. Na via ampla e arborizada, as lojas ocupam o térreo de edifícios residenciais do início do século XX, o que contribui para o ambiente de sofisticação.

Para uma rua comercial ser considerada luxuosa não basta concentrar um bom número de lojas de marcas caras. Também precisa ser um espaço público agradável, bem freqüentado e bonito. "Quem compra roupas e acessórios de grife não pensa apenas nos atributos do produto, mas busca ganhos subjetivos como bem-estar e satisfação pessoal". "Daí a importância do ambiente em que é feita a compra.

O cliente precisa ter a sensação de que faz parte de um clube exclusivo marcado pelo requinte e pela perfeição." A Quinta Avenida, em Nova York, a segunda colocada no ranking do luxo, é um dos locais que melhor dão ao freguês a sensação de estar no centro da sofisticação mundial. A via atravessa Manhattan, o coração da cidade mais cosmopolita dos Estados Unidos, e é repleta de prédios imponentes, museus, galerias de arte e hotéis estrelados.

Lugares como a Quinta Avenida e a Champs-Élysées, em Paris, a terceira no ranking do luxo, são cartões-postais de cidades importantes e ícones do consumo de alto padrão desde os anos 30. Instalar uma loja num endereço desses serve de cartão de visita para a grife. A avenida parisiense andou em baixa no início dos anos 90, com a proliferação de marcas populares e cadeias de fast-food. A tendência inverteu-se nos últimos cinco anos. Há lojas novas da joalheria Cartier, da grife alemã Hugo Boss, e a Louis Vuitton inaugurou lá sua maior loja, de 1.800 metros quadrados.

Há várias vantagens comerciais em se instalar nos arredores de uma rua conhecida por concentrar o fluxo de consumidores de alto – e, cada vez mais, médio – poder aquisitivo. Uma delas é atrair os turistas, responsáveis por uma em cada quatro compras no mercado de luxo. No ano passado, esse tipo de comércio cresceu 31% em termos globais.

Os shopping centers também oferecem concentração de ofertas, mas funcionam segundo outro conceito. Eles foram concebidos de acordo com uma lógica de consumo inventada pelos americanos, em que a compra deve ser feita com rapidez e praticidade.



A rua de luxo, ao contrário, é uma tentativa de recriar o clima elegante existente entre os ricaços no passado. É um local onde, em princípio, as compras podem ser feitas com calma e os endinheirados podem ser vistos por outros endinheirados. Mais que os shopping centers, as lojas de rua ajudam o mercado de alto padrão a manter a mística de exclusividade que é o seu maior atrativo. Essa é a lógica que deu à Oscar Freire, onde as vitrines disputam a atenção dos pedestres palmo a palmo, a oitava colocação no ranking das ruas luxuosas.

 

R A N K I N G    D E    L U X O

R

 Local Cidade País Bandeira
 Rua Serrano Madrid Espanha
 Quinta Avenida Nova York Estados Unidos
 Avenue Champs-Élisées Paris França
 Via Montenapoleone Milão Itália
 Oxford Street e arredores Londres Inglaterra
 Rua Parliament e arredores Beirute Líbano
 Avenida Jungfemstieg Hamburgo Alemanha
 Rua Oscar Freire e arredores São Paulo Brasil
 Avenida da Liberdade Lisboa Portugal
10ª  Avenida PC Hooftstraat Amsterdã Holanda

Seu prestígio começou a crescer na década de 80, quando lojas se instalaram por lá para atender os moradores de bom poder aquisitivo e os hóspedes dos hotéis da região.

Oscar Freire de cara nova

A rua mais luxuosa do país não tem mais fiação a mostra e nem postes. Além disso as calçadas são niveladas, espaço para lixeiras de metal, bancos em todo o percurso e muitos ipês. Hoje, a Oscar Freire e seus arredores é o endereço mais nobre do consumo de luxo no Brasil.  Reúnem restaurantes, cafés e as principais marcas internacionais.

O atendimento, segundo a pesquisa que deu origem ao ranking das ruas de luxo, é um dos melhores do mundo.


 

Publicidade:

 

Publicidade:
 


 


Publicidade: